Paz nas escolas

Antigamente os pais contavam histórias de como era belo ir ao pátio da escola cantar o hino nacional e ter aulas de moral e cívica e nós tínhamos uma curiosidade em conhecer tais disciplinas, nossos recreios jamais seriam os mesmos quando tínhamos mais de quinze minutos para andar pelo pátio, jogar futebol e ler algum livro na biblioteca, raramente cantei o hino em minha escola, não tive essa mesma oportunidade e também não tive a tão sonhada aula de moral e cívica, tive que me contentar com sociologia ou alguma coisa sobre idiomas . Como os tempos mudaram e como as pessoas mudam, muita coisa mudou declarou um antigo aluno do interior que adorava aprender sobre ensino religioso, porém era uma aula sobre direitos humanos que chamava à atenção naquele colégio estadual e o desabafo sem simpatia da aluna formada em advocacia que tinha que ouvir a história de que Paulo freire é o patrono da educação .

Foi assim que percebi o quanto perdemos tempo nas escolas politizadas pelo PT e sua geração de céticos que não se formam e não fazem doutorado, simplesmente mencionam Karl Marx e já são chamados de doutores pela secretaria de educação, ou seja, fazem pouco caso pela educação de qualidade. O problema mais comum de uma escola política é a guinada para a esquerda no sentido não convencional de fazer o ensino funcionar. O professor oferece sua visão marxista e todo o grupo de alunos devem proceder do mesmo modo ou sofrerão as consequências do obscuro sistema esquerdista .

O profissional da escrita deve ter realmente um cuidado para não errar no desenvolvimento de um texto, mas imagina o aluno pensar diferente e ser repreendido em sala de aula? Em pleno século XXI isso acontece ! Lamentavelmente o debate sobre política nas escolas tomou o lugar que compete de aprender física, matemática, história etc.

Deus criou o mundo de uma maneira tão perfeita que deu inúmeras disciplinas para que tivéssemos o conhecimento adquirido para seguir o exemplo de termos um bom futuro, uma boa profissão. Agora imagina o mal se apossando das mentes vazias dos jovens que não querem estudar a disciplina e sim seguir os conselhos do Karl Marx ou do gransci, fazer dessa rebeldia algo mais importante que o entendimento da disciplina. Por isso e por outros motivos temia que a desordem se mantivesse e nada fosse feito em consequência dessa mazela da esquerda em pregar anarquia dentro da escola.

O tempo foi passando e os conservadores se uniram numa corrente de bem e quando veio o resultado das eleições veio o alívio absoluto. Um conservador ganhou e defendeu com esforço a paz nas escolas, um pensamento conservador fez o futuro ser mais cheio de esperanças. O tempo foi passando e ao chegar no mês de setembro, o ministro Abraham Weintraub entrou no campo de batalha e se mostrou um grande guerreiro e deu o ultimato para a esquerda. Acabou a doutrinação ideológica e os termos comunistas para se garantir mais militantes, teremos as escolas cívico militares e iremos restabelecer a ordem por aqui. O choque de realidade foi tão grande que a esquerda não reagiu, o estado do Ceará por exemplo aderiu ao projeto e a maioria das escolas que aderiram ao escola cívico militar são municípios do Ceará. A região Centro Oeste, sul e norte aderiram, mais MG e SP.

O projeto visa selar de uma vez por todas a necessidade de haver disciplina e mais dedicação aos estudos, combater a rebeldia e os militantes maconheiros que não somam para a melhoria da nossa educação. O projeto visa diminuir o estresse do professor que tem que trabalhar dobrado para dar aula e controlar seus alunos no corredor, mais uma vantagem da escola cívica militar será o reforço da segurança e da garantia da ordem.

http://escolacivicomilitar.mec.gov.br/

Difícil esquecer a tragédia de Suzano/SP onde dois amigos, sendo um ex aluno, invadiram a escola e atacaram seus colegas com arma de fogo, machadinha e até um arco medieval. Vale lembrar esse episódio para reforçar a seguinte questão : – se essa escola fosse uma escola militar, isso jamais teria acontecido . Ressalto o fato de que hoje temos o aumento da violência contra professores dentro de salas de aula, pergunte ao seu pai, como era naquele tempo quando ele era estudante, nem diferente, pois havia disciplina, respeito ao professor e juramento a bandeira. Buscamos respeitar esses valores e defender o direito do aluno em ter uma boa qualidade de ensino, pois o aluno não deve ser doutrinado para ser ativista ou militante em causa política, mas se apegar à disciplina e obter conhecimento suficiente para ter a garantia de uma boa profissão e um futuro bem melhor .

13. Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida.
(Provérbios, 4)

As escolas cívico militares irão resgatar aos poucos a credibilidade, os bons hábitos e também resgatará a paz nas instituições.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s